ACESSIBILIDADE MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE TAMANHO DA FONTE:
  • A+
  • A
  • A-
Acessibilidade

POSTADO EM 13 jan 2022 · Administração · Notícia · Defesa Civil · pirenópolis · pirenopolisnossobemmaior · Lagolândia

Lagolândia deverá receber verba para reconstrução das estruturas danificadas pela enchente do dia 28/11/2021

O recurso foi obtido graças ao empenho da Prefeitura de Pirenópolis que, por meio da Coordenadoria Municipal de Defesa Civil – Comdec, montou de forma ágil um processo solicitando o reconhecimento federal da situação de emergência decretada

O domingo do dia 28 de novembro de 2021 ficou marcado pelo alagamento do distrito de Lagolândia e do povoado de Capela e região, em Pirenópolis. Provocado pelo fenômeno conhecido como Cabeça D´Água, no Rio do Peixe, córregos Mata Mata, Confisco e outros, segundo apurou o Corpo de Bombeiros, o alagamento deixou 21 famílias desalojadas. Um processo montado pela Coordenadoria Municipal de Defesa Civil – Comdec conseguiu fazer com que a Secretaria de Defesa Civil Nacional reconhecesse, em âmbito federal, a situação como de emergência.

“Na prática, isso traz grandes possibilidades de obtenção de recursos federais para minimizar os estragos feitos pela chuva em Lagolândia, sobretudo para os equipamentos públicos, mas também para ajuda direta para os munícipes que sofreram prejuízos”, explica o secretário de Meio Ambiente, César Augusto Triers, a frente da Comdec e também coordenador da força-tarefa montada ainda no domingo (28) pelo prefeito de Pirenópolis, Nivaldo Melo, e que reuniu todas as secretarias do município, o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil.

Além das 21 casas destruídas pela força da água, outras 52 foram danificadas, conforme levantamento da Secretaria de Meio de Ambiente, e ainda uma série de equipamentos públicos, tais como estradas, pontes e quadras. O reconhecimento da situação de emergência pela Secretaria de Defesa Civil Nacional foi possível graças ao trabalho em ritmo acelerado para a composição do processo, o que aliás também reflete o que foi feito in loco para as famílias atingidas pela enchente, não só pelo grupo montado pelo prefeito, mas também pela população em geral que não mediu esforços para arrecadar alimentos, roupas e utensílios.